Pesquisar no Conversa Franca.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

O lado escuro

A sociedade massacra as individualidades a medida em que não as aceitamos, a luta do aceitável contra o inaceitável é descrita a milênios, porem isso não impede que pessoas nasçam com o ímpeto de cometer transgressões. O lado escuro da lua não é aquele que não bate sol, e o que não conseguimos enxergar.

Os transgressores da sociedade para serem julgados e punidos, primeiro devem ser encontrados, mesmo pessoas com esteriótipos inofensivos, podem guardar atitudes sombrias e inaceitáveis em sociedade.

Mesmo atitudes que hoje são comuns e aceitas (como o homossexualismos ) já foram punidas com a morte se encontrada, e muitos dos seus praticantes se esconderam para não sofrer as consequências. Sempre houveram transgressores e sempre houve ambiente sombrios onde poderiam circular livremente e anônimos.

Seja nos clubes de swing, nas salas de sadomasoquismo, seja no quarto com viciados, seja na dark web ninguém quer mostrar o seu lado obscuro para não ser julgado e muito menos punido.

Muitos não sucumbem ao lado não aceito pela sociedade e são ferrenhos defensores da mesma, são chamados dos defensores da moral.   

Como as pessoas sempre querem ter aquilo que nao tem e ser quem não o são, caímos nas vontades obscuras e escondidas de cada ser, que como uma erva daninha cresce junto com o ser e se não for tratada ira trazer a tona uma vontade incontrolável, um vício.

Alimentar os hábitos que nos convém e agrada com frequência traz o vicio a tona.

O vício é aquilo que te traz imenso prazer e quando você não o tem traz imensa tristeza. Pessoas podem não saber em que são viciadas por nunca ter experimentado do fruto proibido, mas quem tem seu vilão pessoal sabe o quanto essa relação de amor e ódio pode custar. 

Aceitar as diferenças e o que acarreta cada escolha pode ajudar a inserir os praticantes do vicio, ou de um usuário eventual , para a sociedade. Mas quando o vicio atrapalha a sociedade como lidar com o transgressor da conduta ?

Obrigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário